segunda-feira, 21 de abril de 2014

Pintura Digital com camadas coloridas

Quando eu não tinha uma mesa digitalizadora e queria preservar o traço do meu desenho, eu pintava as camadas e ia sobrepondo uma em cima das outras, daí era só apagar as camadas de cima nos detalhes que eu queria de outra cor para pegar a cor da camada de baixo. Os meus desenhos foram sempre cheios de detalhes, mas acontece que fazer o line art com o mouse de detalhes pequenininhos é uma tarefa bem chatinha, então eu recorria a essa técnica de pinturas com camadas coloridas. Depois era só fazer luz e sombra com o pincel de escurecer e clarear. O ponto negativo é que não fica um desenho muito limpinho, por que além de preservar o traçado original do desenho, preserva também as manchas de grafite, as sombras da scanner e a textura do papel. Entretanto pode ficar um trabalho legal, é rapidinho e sem muito trabalho. Vou mostrar aqui as etapas do ultimo desenho que colori assim:

Só no grafite
Cor das rosas do cabelo.

Cor do cabelo.

Cor das pedras no fundo e galhos.

Cor da pele.

Cor do vestido
Uma textura por cima para finalizar.
Uma dica legal é deixar os detalhes menores ficar nas camadas de baixo por que assim você não precisa apagar superfícies muito longas.

 O desenho acima eu fiz para uma amiga, a Laísa Couto, em um dos seus contos ela faz uma releitura do conto de fada da Bela  Adormecida, ao qual eu tive o prazer de ser uma de suas leitora beta, e a leitura me inspirou a fazer esse desenho para ela. Além desse vou mostrar aqui mais alguns outros que pintei só com camadas coloridas;







sábado, 5 de abril de 2014

HQ Peeiras - Sete histórias sobre as fadas dos lobos


Ano passado eu e mais 6 mulheres fomos incumbidas de fazer a arte de uma HQ sobre Peeiras, um projeto do Alfer Medeiros, famosos na Web pelas suas belezinhas lupinas.Isso mesmo, ele reuniu sete mulheres e deu sete histórias para elas ilustrarem. É tipo o lobo entre as peeiras.
Enquanto eu ilustrava as pessoas me perguntavam, o que são peeiras, então, se você também está se perguntando, lá vai uma explicação:

Peeira para muitos é a versão feminina do lobisomem, para outros é uma fada, a fada dos lobos, guardadoras e companheiras dos lobos ou mesmo protetora e companheira dos lobisomens.Segundo a lenda, oriunda de Portugal e da Galiza, peeira seria a sétima filha de um casal que por ter sido a sétima nasceria com os dons de se comunicar com os lobos. É uma lenda muito pouco conhecida aqui no Brasil, eu mesmo nunca ouvira falar até ler o livro Furia Lupina, do Alfer Medeiros. E depois ele me deu esse presente de poder ilustrar uma história tão linda (a mais delicada da HQ), assim fiquei conhecendo um pouquinho mais sobre as fadas dos lobos.

As peeiras do Alfer são essas mulheres que possuem um fio telepático muito afiado com os lobisomens, afiado ao ponto de possuir o domínio sob a mente dos homens lobos, caso queiram. Uma coisa que me chamou a atenção é que, diferente das lendas, que descrevem uma relação maternal e protetora entre a peeira e sua alcateia, o relacionamento entre as peeiras do Alfer e seus lobos não são assim tão românticos. Longe disso, o Alfer, nessa HQ, cria personagens fortes e sinuosas, capazes de usarem seus dons como uma arma, as vezes, até mesmo contra a alcateia. Mas não é o caso da que eu ilustrei, que como eu disse, é a mais delicada delas.

Depois que eu terminei de ler o roteiro que o Alfer me enviou, a minha reação foi: Poxa, que história linda! 
Ela se chama "Espelho quebrado" e conta a história de uma mocinha rica e solitária, superprotegida pelo pai, e cuja unica oportunidade de conhecer o mundo é através dos olhos de um homem lobo. O homem lobo por sua vez é um lavrador muito miserável, mas através do contato telepático a peeira lhe proporciona as sensações de prazer e regalia que sua condição abastada lhe possibilita, assim ele pode usufruir dos prazeres sensoriais de uma vida aristocrata. A partir daí acaba se formando uma relação simbiótica e salutar entre os dois. 




Entretanto a história de um homem lobo em pleno século XVIII nunca poderia terminar bem, e ao estreitar demais os laços telepáticos entre os dois, a pobre peeira acaba compartilhando da triste sina do lavrador. É uma história triste, mas as coisas tristes são sempre as mais bonitas, e o Alfer usa de uma linguagem poética que embeleza ainda mais a coisa. 







É, eu fiz spoilers, mas não contei a história toda, vocês ainda precisam ler para saber o que acontece, e além dessa existem mais seis histórias sobre essas adoráveis fadas dos lobos. Quem estiver interessado nesse trabalho pode conferir de graça no site do escritor, é só baixar e ler: Alfer Medeiros



sexta-feira, 4 de abril de 2014

A arte não é uma ação deliberada

Eu preparei essa postagem para o outro blog, aquele que eu não vou mais usar, então estou trazendo-a para cá.

Em uma postagem anterior a Pat Kovacs me pediu para falar também sobre pintura digital. Bem, tratando-se de pintura digital ainda tenho muito pouco a dizer. As vezes acerto e tudo parece muito fácil, outras vezes não consigo acertar então acho que é muito difícil e largo o que estava fazendo para pegar outro dia, como se fosse algo que dependesse do momento, de inspiração criativa, esse tipo de coisa sazonal que mais parece tratar-se de alinhamento astral do que outra coisa. É muito difícil não desanimar em momentos assim e desistir de tudo por ao menos um dia ou dois, isso por que felizmente tenho problemas em desistir das coisas.

Entretanto o que eu tenho percebido é que... é muito importante evitar fazer algo que sabe que pode te desanimar. Tipo começar algo sem ter mais ou menos a ideia do que quer fazer, coisas que pode te levar a qualquer lugar correndo o risco de te fazer se sentir perdida, sem uma ideia de que direção tomar. Apenas a sorte faz um barco sem velas e leme dar em um porto seguro, e sejamos práticos, quem realmente quer estar apenas a mercê da sorte?

Certo que se tratando de desenho, das artes em geral, o que vale é o talento, a inspiração, a criatividade. Sim, mas essas coisas são apenas o seu arsenal, se você não souber o que fazer (ou como fazer) com suas ideias elas nunca serão colocadas em prática. Por isso é importante nem que seja apenas uma leve dose de organização; aquele momento em que você para e pensa mais refletidamente no que quer fazer. Vai buscando em sua mente o que você sabe, o que pode ser útil ou não, o que combina ou não, coloca todas as suas armas na mesa e se prepara para ir a batalha. Qualquer trabalho se torna muito mais fácil quando você o esquematiza. Mais seguro é o viajante que sabe antecipadamente qual caminho vai tomar.

O desenho, a pintura não é uma ação deliberada, por mais abstrata que sua produção seja, por mais caótica que ela pareça ela não é feita de forma deliberada, sobretudo porque sempre existe com alguma finalidade, passar uma mensagem, expurgar um sentimento, inspirar sensações, promover uma reflexão... etc.

Para transformar uma ideia em ação você lança mão de todo um arcabouço, um conjunto de conhecimento prévio que pode te auxiliar em seu trabalho. Com o desenho não é diferente, até para desenhar uma mão você tem que ter uma noção básica de como anatomicamente é uma mão, vai buscar em sua mente ferramentas que precisa, tipo: como fazer para obter efeito de volume; luz e sombra, material que pode usar, cores, se vai deixar o traço aparecendo ou não, como fazer para sumir com o traço. Etc. Suas escolhas demandam uma série de ações que não dependem apenas da inspiração, mas como todo projeto, de conhecimento e organização. É isso ou esperar por um alinhamento astral favorável.

Como eu tenho pressa para aprender procuro me aventurar em pinturas onde eu já tenho um esboço razoável, para evitar riscar diretamente na tela do photoshop, por que para quem tem mais prática em trabalhar com o papel facilita um pouquinho evitar esse momento de estranhamento de riscar direta na tela seu editor de imagem.


Primeiro eu colori as camadas para saber exatamente como eu queria as cores e depois fui colorindo com o pincel.


Essa á a fadinha que tem as asas derretidas por que os homens se aproximam de seu mundo com ferro frio, um metal que enfraquece e faz adoecer o povo élfico. É a personagem do um conto meu. Tem também uma versão em aquarela que eu chamei de "O lamento dos elfos", o rosto com a pintura ficou um pouco diferente desse, também fiz cenário e tem uns elfozinhos chorando perto dela. Depois mostrarei aqui. 

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Blog de cara nova e uma fadinha mascote

Ham-ram, o blogue ganhou fachada nova, uma cor mais clara no background por que tenho tido novos planos para ele. Antes as cores sombria combinavam com minha alma (e ainda combina), e com meu estilo de escrita também, embora todo mundo ondeie fundo preto para leitura.  Mas acontece que agora eu pretendo postar mais imagens aqui, e para imagem fundo claro é muito melhor. Ainda assim fiquei relutante, então isso explica o cinza, né? Nem branco, nem preto... Rorschach que me perdoe. ´
Tentei separar as coisas, até criei um blog só para mostrar os desenhos que tenho feito, mas tem esse aqui, e para quê ter tantos blogues se você pode ter só um. O blogue é meu né, eu posso postar o que eu quiser, e daí se ficar caótico, eu sou caótica não tem como ser diferente...

A fadinha mascarada da fachada eu fiz para servir de logomarca de uma loja que eu abri para vender meus desenhos. Queria um desenho que representasse "A Fantasista". Tinha que ter asas, porque eu adoro asas, tinha que ser mistica, misteriosa... daí lembrei de uma foto que tirei no carnaval, com uma máscara, quer algo mais misterioso que máscaras, e tinha também um antigo banner da Fantasista com uma mulher fada com uma máscara de folhas, dai veio a ideia.

Também tinha que ser traços simples, por que era um logo, então fiz só com traço preto, no photoshop, rapidinho, só um busto de uma mulher de costas, com uma máscara e um penacho e muitas flores e galhos no cabelo preso em uma trança que caia pro lado, e depois fiz um monte de risquinhos como se ela estivesse se desfragmentando, uma coisa muito sem compromisso mesmo, um momento muito: fodam-se as frescuras.


Mas eu nunca me conformo com um desenho só preto e branco então resolvi pintar, muito colorido porque eu sou uma criança descobrindo as cores. Mas até para pintar fiz de uma forma destemperada, fui jogando as cores por baixo do traço numa mesma camada, sem me importar em abrir outras camadas, sem me importar com muita coisa. Então dessa bagunça saiu isso aí:


Depois voltarei para mostrar mais dos meus desenhos e falar um pouquinho sobre eles.

O link da minha loja na Elo7: A Fantasista



Meus selinhos ^^

Meus selinhos ^^
Meus selinhos ^^