sábado, 23 de agosto de 2014

Todas as verdades


Saber de todas as verdades não é uma dádiva, mas um castigo. De repente todas as portas estavam abertas atrás dos livros. Era a melhor escolha que se podia fazer. Refugiar-se na mentira benéfica a perder-se em meio à realidade nauseante.
Aos poucos um a um foram caindo-se os véus.
Foi tão divertido saber que as pessoas não passavam de pergaminhos abertos, expostos para qualquer um ler.
Linha, entrelinha, verso e reverso.Patético!
Daí então o sarcasmo borbulhou em seus lábios e descobriu que era inevitável não rir.
Mas quando o gargalhar se tornou histérico descobriu mais uma verdade; o riso quase sempre reflete a dor.
No espelho um novo reflexo, amargura e rancor.
Contando-se nos dedos, vinte, vinte e um, vinte e ...
Qual era mesmo a sua idade de verdade? Não dava para saber.
“Sessenta.” Um menininho disse, e sabia bem qual era a rima que vinha depois.
Já era tarde quando ela descobriu que no mundo haviam mistérios cuja face era melhor desconhecer.

Nenhum comentário:

Meus selinhos ^^

Meus selinhos ^^
Meus selinhos ^^