terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Que livro você é?

Vi essa postagem no blog: Blog da Só e me interessei. Já havia feito um texto parecido e nem imaginei que daria o mesmo resultado. Aparentemente, segundo dois testes diferentes, o livro que sou é:


"A paixão segundo GH", de Clarice Lispector

Você é daqueles sujeitos profundos. Não que se acham profundos – profundos mesmo. Devido às maquinações constantes da sua cabecinha, ao longo do tempo você acumulou milhões de questionamentos. Hoje, em segundos, você é capaz de reconsiderar toda a sua existência. A visão de um objeto ou uma fala inocente de alguém às vezes desencadeiam viagens dilacerantes aos cantos mais obscuros de sua alma. Em geral, essa tendência introspectiva não faz de você uma pessoa fácil de se conviver. Aliás, você desperta até medo em algumas pessoas. Outras simplesmente não o conseguem entender. Assim é também "A paixão segundo GH", obra-prima de Clarice Lispector amada-idolatrada por leitores intelectuais e existencialistas, mas, sejamos sinceros, que assusta a maioria. Essa possível repulsa, porém, nunca anulará um milésimo de sua força literária. O mesmo vale para você: agrada a poucos, mas tem uma força única.

Bizarro!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Resenha de Os olhos de Thera


Eis aqui uma advertência para aqueles que forem ler Os olhos de Thera; preparem-se para serem apresentados a demônios horrendos, traiçoeiros e bons de briga e também aos matadores de demônios, os guerreiros de Thera; um grupo seleto de jovens com habilidades surpreendentes que o que sabem de melhor é chutar os traseiros de demônios assustadores. Mais do que um livro de adolescentes que herdam poderes surpreendentes para defender sua cidade, Os olhos de Thera é um livro que fala de amizade, de destino, do comprometimento de um grupo de guerreiros em lutarem por aquilo que eles mais prezam.

A história se passa na quase selvagem Silver Blade, uma pequena cidade que já viveu sua época de ouro pela mineração, mas que hoje se encontra quase sufocada pelos braços tépidos da floresta.

Elizabeth Monterey é a encantadora protagonista (acredito que as garotas vão preferir guardar o adjetivo para o Lion, eu nem digo nada por que sou suspeita ao falar). Beth é uma adolescente de 17 anos que de repente tem o mundo desabando sob sua cabeça com a morte dos pais, o coma do irmão gêmeo Jake, as dívidas da família, a pressão do seu tutor em se desfazer do legado da familia e ainda por cima os pesadelos sombrios e exaustivos que vem atormentando suas noites. O peso sobre os ombros de Beth vai se traduzindo em uma fúria poderosa e devastadora. Mas o destino coloca no caminho de Beth o misterioso Lion, um garoto que a primeira vista é tão bonito quanto irritante aos seus olhos. E a partir desse encontro os mistérios de sua natureza irão se revelar com grande forçar e Elizabeth descobre que as pessoas mais adoráveis que a cerca (seu grupo de amigos) não foram colocados ao seu lado atoa. Lion a ajuda a destruir o demônio que aprisionava a consciência do seu irmão e revertia seu fluxo de energia salvando-a de uma morte iminente, e lhe revela que eles são caçadores de demônios por natureza, são os guerreiros de “Thera”, uma força divina que rege e guarda o mundo dos homens. Mas as surpresas não param por ai, Beth ainda descobre que existem outros guerreiros pelo mundo, e eles precisam lutar juntos, e isso também significa engolir o irritante Lion a seu lado, para descobrirem a localização e selar, até a manhã do Halloween, o portal por onde os demônios estão passando ou grandes tragédias assolarão primeiro sua adorada Silver Blade, depois todo o planeta.

A história é do tipo que vai sendo tecida aos poucos, adquirindo maior maestria, percebemos, à medida que vamos entendendo onde os pontos se encaixam. A impressão que dá é que ela vai se fortalecendo simultaneamente aos personagens. Ao tempo em que os guerreiros de Thera vão aprendendo a ouvir seus instintos e guiar suas forças a favor de um objetivo maior, também a trama já caminha com seus próprios pés por uma trilha repleta de ação e surpresas. É praticamente impossível o leitor não se ver enlaçado a partir do momento em que começa a acompanhar essa primeira aventura da hoste de caçadores de demônios. Ao que parece, o inicio de uma saga habilmente traçada pela talentosa pena de Leia Kiuski.

Coisas que mais gostei no livro (fora o Lion):


As cenas de batalha. Foram muito bem escritas. Se fosse para virar um filme, daria um filme bem legal com o direito a muitos efeitos especiais. Os mais interessantes seria o brilho esmeralda no olhar dos guerreiros quando seus poderes estão aflorados e quando a Beth vira a garota elétrica depois de uma conjuração de energia mal sucedida.


Ouro detalhe charmosos são as armas especiais da Beth, a personagem principal, seus enfeites de cabelos, sues afiados kanzashis de prata (único material que os demônios não são imunes). Dá para estar bonita e ainda tornar-se fatal. Será que também resolve contra vampiros e lobisomens?

O primeiro livro da trilogia está disponível para venda nos Clube dos autores. Os dez primeiros capítulos estão disponíveis na Comunidade da saga no Orkut. os interessados podem deixar comentários tanto no Orkut da autora quanto no site do "Clube de Autores no link acima.

contato com a autora:
leiakiuski@gmail.com

Meus selinhos ^^

Meus selinhos ^^
Meus selinhos ^^